sábado, 22 de fevereiro de 2014

O valor que realmente temos que ter.

Do que adianta colocar o nosso mundo aos pés de quem não temos nenhum espaço no seu  próprio mundo?!

Sei que é terrível sentir-se tão inútil e por mais sublime que o seja acaba se tornando fútil.

E quanto mais se tenta demonstrar seu valor, mais vulnerável se torna mais supérfluo torna-se todo amor.

Ah! Se pararmos para reconhecer em nós quem realmente somos e aprendermos com as nossas frustrações ainda que para os ouros nada sejamos!

Somos algo que se elabora temos idéias embutidas é só confiarmos e enquanto aprendemos a confiar mais termos a experiência a paciência para entender que alguém neste mundão de Deus foi criado na exatidão daquilo que temos a proporcionar!

Por insto é imprescindível que valorizemos a nós mesmos dando-nos o valor que realmente temos que ter.

Porém,

Como sou cristão e como tal fui destronado para que minha confiança esteja sedimentada em Deus!

Parto do meu principio e garanto que é obvio, que é magnífico, que basilar, que é uno, que é Jesus Cristo...

Tudo bem você pode escolher o seu!

Mas eu prefiro aquele que arrancou-me todas as agruras todas as inseguranças e até mesmo o medo da morte...

Afinal!

A morte me levará a ele definitivamente!...


 Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito,
 para que todo aquele que nele crê não pereça, 
 mas tenha a vida eterna. 
-João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Na fornalha da esperança,

De forma redundante sempre afirmo que os diamantes são raros de valores tão caros, mas que de nada valem para quem não lhes sabe dar o ...