quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Depressão [A morte da alma].


Quando a dor avassala a alma
que vai ferida sem paz e sem calma
e maltrata a solidão
mesmo estando em meio a multidão.

Quando tudo parece em vão
e o vazio no coração
e por mais que se procure
não encontra a solução.

Quando a depressão
tão horrível terrível sensação
nos enterra estando vivos
como é cruel esta maldição.

E já não vale a pena viver
pois  os sonhos se exauriram
nossos planos se frustraram
ideais que se sucumbiram.

É necessário entender que existe a vida
e não existe nada mais sublime do que o viver
é acreditar seguir em frente
para que viver só a sofrer?!

 *********

A depressão é um abstrato parasita psicossomático que exaure nossos sonhos e esperanças e com eles toda vontade de viver.

É a lúgubre síndrome patológica que gera uma anomalia terrível fazendo com que a sua influencia debilite o sentido da existência.

De origem sintomática ou mesmo assintomática acaba por recrudescer e de forma psicossomática abate o ânimo infiltrando seus bacilos invisíveis, porém terrivelmente nocivos que carcome corpo alma e espírito.

Na verdade a depressão é a dissociação com a realidade trazendo outra realidade um tanto negativa, niilista...

Acima de qualquer situação é imprescindível que se busque ajuda em todos os âmbitos e principalmente refugiar-se em Deus, ainda que de tão exaurido falte forças para se achegar ao mesmo.

Antes que esta anomalia leve a morte, mesmo sem forças deve-se refugiar em Deus, e mesmo que ele tenha o poder de agir sobrenaturalmente, também leva o individuo em questão a uma paulatina reconstituição de si mesmo, usando pessoas preparadas para fazê-lo com zelo e com sabedoria...




Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, 
 para que todo aquele que nele crê não pereça, 
 mas tenha a vida eterna. 
-João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você se lembrar de mim. [Ao ouvir Chris Thompson ]

A importância de saber lidar com sentimentos subjetivos é imprescindível para que tenhamos equilíbrio. Às vezes o passado torna-se...