Barra de vídeo

Loading...

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

NEO PROTESTANTES





O conceito que emana na filosofia de vida de todo ser humano difere-se de acordo com as épocas em que este mesmo homem viveu.

Sei que esta questão parece um tanto obvia, porém é imprescindível aprimorar de forma idônea ilibada a consciência abrangente para que a mesma possa deixar nutrientes profícuos para a posteridade.

Evidentemente somos nós mesmos quem pautamos o que o futuro nós propiciará e o fazemos quando corroboramos para que os nossos jovens primem por nobres ideais.

Por mais irreverente que estes o sejam, podemos nos valer de nossa maturidade para influenciá-los de forma paulatina fazendo-o quando os mesmos ainda estão em sua formação, seja na infância ou na pré adolescência.

Sempre repudiei qualquer tipo de imposição, ela sempre dirimiu qualquer possibilidade de um dialogo saudável e somente torna-se tolerável quando a vida que é o bem maior estiver ameaçada, pois acima da vida que é o bem maior está somente a vontade de Deus, pois esta foi, é, e sempre será soberana.

O humanismo sempre foi o grande obstáculo tornando-se o maior culpado das discrepâncias que adultera a raça humana de geração em geração, pois sempre colocou o homem como centro e num pragmatismo doentio este homem polariza sua egocêntrica e débil filosofia de vida esquecendo como este mesmo homem é efêmero inconsistente volátil...

Desde o grande movimento impetrado pela a geração babe boormrs “geração Woodstock”, quanta discrepância não se tem vivenciado?

E quanto efêmeros apologistas de filosofias que na sua época era reverberante, mas hoje ao lermos sobre eles percebemos que lutaram por seus exuberantes ideais nas suas psicodélicas filosofias acabaram deturpando gerações posteriores e os mesmos idealizadores em sua maioria morrem de forma patética.

As sequelas daquilo que promulgaram criou fungos que adulteraram a hegemonia de gerações subsequentes.

Muitos destes protagonistas tinham até mesmo algo sensato e suas lutas eram justas, mas infelizmente seus apologéticos discursos de forma equivocada faziam do grito de liberdade a egocêntrica e deturpada anarquia.

 E com isto sobrepujaram tão nobres ideais, e ainda que altruístas seus ideais germinassem nocivos efeitos colaterais onde mentes em seus subconscientes de forma inconsciente abarcaram ao que era nocivo e preteriram propósitos tão sublimes que com o tempo converteram-se em ambíguos e remotos ideais...

 Evidentemente seria uma incongruência ansiar com retorno de culturas que marcaram épocas, até mesmo por que se trata de uma questão temporal e evidentemente dificilmente uma geração assimilaria na integra a cultura de uma geração posterior a sua.

Mas existem princípios éticos que dão subsidio a paradigmas cuja essência transcende as questões filosóficas porquanto se tornam atemporais ainda que os costumes oriundos das culturas possam mudar.

Os princípios éticos são inalienáveis inapeláveis e homem algum na sua efêmera falibilidade tem o direito de mudar isto.

É imprescindível que a doutrina filosófica se destoe daquele que a implanta, pois sendo o mesmo falho, nem ele mesmo é capaz de assimilá-la na sua integra, e com isto ainda que busque a edificação jamais conseguirá vivenciar a completude daquilo que promulga a sua doutrina, mesmo assim tornar-se-á um grande reverberador, a menos que a sua doutrina não seja assim tão edificante.

Ao elaborar uma consciência lógica objetiva é necessário acima de tudo um profundo esvaziamento de si mesmo e da mesma forma uma elucubração introspectiva sobre aquilo que a doutrina predispõe e se a doutrina é profícua invariavelmente ela reverberará a partir daquele que nela se absorve e por ela vive.

A noção exata da idoneidade se adquire a partir do momento em que verdadeiramente aquele que se acondicionou arraigando-se na doutrina, este, converteu sua filosofia de vida em um paradigma irrepreensível e seu testemunho torna-se um exemplo a se seguir.

Sem fundamentalismo ou mesmo eufemismos, mas apenas consolida a transparência que a sua doutrina predispõe.

Existem muitas filosofias cuja doutrina parece reverberante, mas na verdade ainda que aparente inofensiva elas seja voláteis incongruentes deturpadas e... Antropocêntricas.

O evangelho de Jesus Cristo quer aceitem ou não, é o único paradigma transverberante profícuo idôneo e ao mesmo tempo transcendental, evidentemente por sermos humanos e concomitantemente heterogeneamente falhos, nem todos concordarão com o que eu afirmo, preterindo desta forma a minha doutrina sublevando a sua.

O que eu posso afirmar categoricamente é que ninguém jamais ficará impune do que ele faz ou deixou de fazer, por isto é necessário avaliar com sinceridade sem egocentrismo aquilo que se preconiza, nosso futuro depende disto e aquele que mais se aproximar da luz, com certeza poderá ver com maior nitidez.

Infelizmente até mesmo entre aqueles que difundem os preceitos de Jesus Cristo tem havido tantos escândalos!...

         Quantos estão cheios de si mesmos e introduzem conceitos deturpados heterodoxos, espúrios?...

Mas a luz de Deus sempre brilhará iluminando mentes insatisfeitas com esta celeuma de doutrinas, e mesmo vivendo na atual conjuntura busca a congruência ilibada atemporal que sempre permeou superlativa e inerente a vontade de Deus.

   Movimento que teve o seu ápice na idade media quando teólogos protestantes insatisfeitos com os descalabros de uma filosofia antropocêntrica arvoraram a bandeira atemporal da verdadeira doutrina santa e ilibada.

        ...E vamos nós!
Neo protestantes trazendo a cultura contemporânea, mas no mundo da filosofia pensamos como àqueles que pagaram com a própria vida por ideais nobres e ilibados, e ainda que a inquisição abstrata deste mundo contemporâneo tente dirimir nossos conceitos, não calaremos as nossas vozes que acima de tudo visa reverberar a doutrina cristã evangélica.

Doutrina esta que teve uma grande transformação desde os idos de 1.906 quando William Joseph Seymour promoveu um grande re avivamento na Rua Azusa nos Estados Unidos da America, em que se promulgou a influencia pentecostal e evidenciou-se a manifestação do orar em línguas, porém com o passar dos anos vieram novas idéias, novas metodologias e entre elas uma que tem às vezes mais confundido do que esclarecido, e não a subjugo, mas faço algumas ressalvas a seu respeito, "o neo pentecostalismo."
  
Talvez por isto invade tanto minha mente de forma um tanto irônica o...


Neoprotestantismo.

Palavra que não passa de apenas mais um neologismo sem a veemência de impetrar um novo método.


Mas dependendo do testemunho fiel e uma intrínseca e genuína comunhão com Deus, deixará de ser um hipotético neologismo para se converter em referencia...

E ou na contra mão dos fatos, em comportamento antagônico, converter-se-á em mais uma infeliz aberração.



Nenhum comentário:

Postar um comentário