quarta-feira, 1 de maio de 2013

Até aonde eu queria chegar















Um dia parei para ouvir
as pessoas que me criticavam
e me feriam
isto abateu-me por demais!

Senti-me tão fútil
nesta vida tão inútil
angustiado triste abatido
curvado ferido

como que por punhal
morria lentamente
absorvendo todo mal.


As palavras ferinas
são como veneno de escorpião
que arde que fere que queima
corroendo o coração
e tudo isto machuca a alma
roubando toda calma.

Vi meu sonhos exauridos
coração entristecido
sentindo-me totalmente incapaz
as lágrimas inundavam meus olhos
e o silêncio da minha voz
denunciava o meu fracasso.

Então eu ergui minha cabeça
olhei para o céu tão azul
depois mirei o horizonte
e vi lá no fundo
quão alto e majestoso o monte
e então eu caminhei...

Caminhei,...

Caminhei...

Não olhei para traz!
Olhava apenas para o meu ideal
chegar ao cimo do monte
para mim não havia nada igual.

A caminhada era tão longa!...
E eu seguia abstraído
contemplando a natureza
de mim mesmo estava esquecido.

...Agora ouvia apenas a voz de Deus
que na solidão se tornou meu maior amigo
em silêncio caminhava comigo
enquanto enchia meu coração de esperanças
cuidadosamente ele agia
dirimia tão triste lembranças...

Chegando ao pé deste monte
então eu me vi tão pequeno
tão insignificante
para algo tão descomunal.

Porém eu não desanimei
lentamente este monte eu escalei
até chegar aonde eu queria!

...E respirei o ar da minha conquista
enquanto olhava para o ponto de partida
estava tão distante tão insignificante
obstante da tormenta que passei
epicentro no qual me frustrei
o sepulcro ao qual me enterrei
mas ao olhar para o céu ressuscitei.

Quanto tempo eu perdi
estagnado naquele lugar?
como pude ser tão fútil,
ao sentir-me tão inútil a chorar?!

...E aqueles que me criticaram
com viris palavras me machucaram
ainda estavam lá
e lá continuavam

falavam gritavam
enquanto gesticulavam
mas eu já não mais podia ouvi-los
estavam tão pequenos tão ínfimos
enquanto eu me sentia mais próximo...
De Deus.























Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. -João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ó meu doce Jesus!

Um dia eu quis fugir de mim mesmo e como um andarilho eu vaguei nas voltas do meu coração. Descobri que meus passos eram long...