sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Uma consciência coletiva hipotetica

















Nós não estávamos preparados para esta democracia
por isto a tornamos análoga a anarquia
deturpamos o que seria a nossa alegria
e fizemos do nosso direito
a obstinação de nosso pleito
polarizando os nossos defeitos.

Abriram a janela da nossa gaiola
e saímos desenfreados
as vezes fomos desregrados
ao desrespeitarmos as regras
e como via de regra,

cada um de nós,
olhamos para nossos próprios interesses
e fizemos dele nosso subjetivismo
e uma consciência coletiva hipotética.

Que infelizmente de forma um tanto patética
faz de nós pequenos e grandes,
civis e autoridades
políticos e eleitores
meros coadjuvantes
de infratores
que apoderaram-se da pseudo ideologia
desta tão mal fadada democracia.

Até que aprendamos a sermos democráticos
todos nós sem exceção
e passemos a votar na idoneidade
parando de raciocinar apenas com o coração
e com ele a nossa razão...

Não quero fazer da minha razão a verdade,
mas da verdade a minha razão.

...Ainda que a mesma não agrade ao meu coração!





Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, 
 para que todo aquele que nele crê não pereça, 
 mas tenha a vida eterna. 
-João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Serás sempre mulher! [Uma resposta a Avon]

A semente que gera. És feminina és doce és bela! suave como a pétala de uma flor tão sublime és princesa e não importa sua ra...