quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

O Pão da Vida


Uma canção silenciosa cantada num monte onde em dor uma alma se esvaia pelas chagas de duas mãos e dois pés vazados.

Um coração transpassado, um Deus ferido crucificado, o amor sendo martirizado, alguém que tanto amou que não foi amado.

Um amigo que ao entoar seu cântico derramar seu amor colheu foi espinho para cada flor que plantou! Tão só e sofrido ferido no gôlgota, traído vendido, por todos esquecido por todos abandonado, tanto amou, mas não foi amado.

Que mal ele fez?!

Apenas refez o caminho da esperança o caminho de luz. Sempre foi Deus, mas agora na cruz ele era inimigo ele era Jesus.

...Foi o meu coração que estava ali sofrendo calado tão nu e envergonhado.

Foi o seu coração que estava ali tão sem esperança morrendo aos poucos, para onde nos iríamos, o que de nós seriamos?
Mas ele viveu para nós sei morreu e os grilhões da desgraça seu sangue absorveu quando ele verteu não precisava de morte, mas dela morreu para perdão dos nossos pecados foi que ele morreu





Cláudio Claro
O pão da vida


quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Quero ser seu namorado

Nós dois

Andei pelos escombros da minha solidão

em chagas se fez o meu coração
sempre cabisbaixo a olhar para o chão
deprimido em angustia e aflição.


Pois vi meus sonhos frustrados
assim como o meu destino anulado
amei e amei mas eu não fui amado.


Até que a olhar-me no espelho
a mim mesmo me dei a um conselho
e ainda com os olhos vermelhos
abri um sorriso entre as lágrimas
e o sorriso abriu-me um futuro
eu olhei por cima do muro
que cercava minha alma em dores
resolvi então falar de amor!...


E o amor se fez minha identidade
então suspirei de verdade
e vi-me tão jovem na idade.


Roubei uma flor no jardim
entreguei esta flor para mim
para então sentir seu perfume
brilhou nos meus olhos um lume
o meu coração abriu-se em flor
a espera de um novo amor
um beijo com doce teor
daquela que me é sei tão bela


eu sei em algum canto ela espera
eu sou o seu príncipe encantado
ela não sabe, mas sou seu amado
ela não sabe, mas quero ser seu namorado




Amar você
Feranda Blum


Na fornalha da esperança,

De forma redundante sempre afirmo que os diamantes são raros de valores tão caros, mas que de nada valem para quem não lhes sabe dar o ...