segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Eu tenho um amigo que é Gay.

Eu tenho um amigo que é gay
um tremendo ativista
e proclama a sua  lei
ele sente-se como um rei.

Sempre luta pelo seu direito
inclusive de fazer o que faz 
não sou contra seu direito de fazê-lo.

Mas quer tirar-me o direito
de discordar do que ele faz
me tornando incapaz
de falar a este rapaz
que aquilo que o faz
que não condiz com o que eu creio,

meu Deus eu não sei mais o que faço!

Se concordo com ele,
abjuro a minha fé
ab’rogo as escrituras
que atesta ser pecado

é a bíblia ou  então ele!
Um dos dois estão errados.

Mas se faço apologia
convertendo a minha fé
em minha filosofia
e falando ao contrario
eu me torno reacionário.

...Ele pode sim fazer
o que bem quer e entender
quantas vezes o quiser
mas se faz !

O que ele fez não me faz
conivente ao seu prazer
se ele fez foi por querer
e então deixa eu dizer...

O problema é não meu,
sim dele ao fazer
mas ele quer tirar o meu direito
de sentir-me satisfeito
com o prazer da minha mulher!

E eu tenho que ouvi-lo falar
sem o direito a contestar!

Pois sei que o que faz
não combina comigo,
eu sou seu amigo
nunca fui seu inimigo.

Se ele gosta do que faz
Jamais irei execrá-lo
e de forma homofóbica
estupidamente desrespeitá-lo.

Só que aos meus filhos
não posso ensiná-los
nem tão pouco influenciá-los
e  se um dia o fizerem
jamais deixarei de amá-los.

Mas com certeza direi
se este filho for gay
não fui eu que ensinei
pois tenho um principio
tirado da bíblia
proveniente de Deus.




Nossa sociedade vem ao longo dos tempos sofrendo uma enorme influencia, principalmente em se tratando da mídia, seja ela em todos os aspectos e níveis.

A mídia televisiva, em seus programas vespertinos, desde os anos oitenta, noventa, começou a induzirem jovens ao sexo precoce, e isto se tornou um marco, uma quebra de paradigmas outrora tão ortodoxos conservadores...

Com um forte apelo homoafetivo, as novelas começaram a levantar a bandeira do homossexualismo e isto vem mudando as pessoas em sua forma de pensar fazendo com que este comportamento torne-se uma prática tão normal.

Hoje é tão comum vermos casais de namorados homossexuais fazendo caricias sem nenhum constrangimento.

Mesmo assim ainda existem aqueles que de forma até mesmo agressiva rechaçam discriminando este tipo de comportamento e não é raro atos de violências contra os que assim se comportam...

Chamados de homofóbicos os que agridem destilando seu ódio contra os homossexuais são constantes noticias nos jornais, radio e televisão, o que fomenta ainda mais a ânsia de os homossexuais fazerem valer seus direitos.

Porém na maioria das vezes extrapolam tais direitos e com suas atitudes veementes eles acabam sobrepujando e com ideias subjetivistas buscam até mesmo desrespeitar a própria constituição que é a carta magna de nossa nação.

Mas de um modo geral e por valores até mesmo cristãos já que quase noventa por cento da nação é cristã, que se representam prioritariamente através do protestantismo e o catolicismo e ambos ainda que divirjam em seus conceitos doutrinários, são terminantemente contra a prática do homossexualismo já que o mesmo é um relacionamento que fere aos princípios cristãos.

Na verdade por mais que a sociedade se sinta aberta, quando este tipo de comportamento é inserido ou tenta ser inserido em um núcleo familiar o mesmo é imediatamente descartado rejeitado de forma sutil.

Ou seja, com o filho dos outros tudo bem, mas não com o meu!

Resumindo.

O homossexualismo é um relacionamento cujos valores sintetizam o subjetivismo humanista em que a vontade é alienada dos princípios sociais culturais e religiosos.


Isto não é um pensamento homofóbico, é uma realidade constada no cotidiano.


Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. -João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chorar faz bem ao coração.

Chorar não faz bem para a saúde quando o faz amiúde as lágrimas são tal como um açude e a alma então se inunde. Quando a vid...