Barra de vídeo

Loading...

domingo, 30 de outubro de 2011

As dores do mundo

Com o tempo a gente aprende
que nem sempre as coisas acontecem como queríamos que elas acontecessem.

Que por mais que as lágrimas molhem nossos rostos,
 Pessoas sem sentimento as ignoram
como se as mesmas não tivessem sentimento.

Talvez a falta de seus sentimentos os leve para o egocentrismo
e eles não percebem que a tristeza e também um mal comum a todos...

E quantos ao se depararem com as dores do mundo
atiram em todo mundo como se todo mundo fosse culpado de suas dores.

E a dor da incompreensão nos fere tanto como a dor da rejeição,
só não nos machuca mais do que a dor da solidão.

Vejo almas mutiladas vidas ressecadas
no efeito colateral de uma sociedade incongruente
cada vez menos crente do que seria uma isonomia,
do que seria uma dignidade
o que me torna também cada vez mais descrente
 desta mesma sociedade tão doente.

E dizer que a sociedade é formada por gente como a gente
que olhando para o próprio umbigo se escondendo em seu abrigo
deixando a tantos desabrigados.

Vejo tantos desarraigados, mas demagogicamente adestrados
a serem instrumentos de projetos sociais,
que na maioria das vezes jazem apenas com o intuito
 de aliviar uma consciência sobrecarregada
de todo mal que nós fazemos a nós mesmos...

Dão um pedaço de pão e dão adeus,
mas esquecem que os seus sentem fome de um dialogo,
sentem fome de carinho, ou até mesmo de respeito.

Porque é tão mais fácil agredir?!...
 Rebater e retrucar abruptamente,
 ignorar um gesto de compreensão acompanhado de perdão?...

Se amassemos uns aos outros
amaríamos muito mais a nós mesmo,
mas como os outros são supérfluos,
 nós dirimimos o direito de sermos mais felizes
do que poderíamos ser...

Eu não sei...

Talvez por sonhar demais,
talvez por acreditar demais!

Acreditei tanto errado
confiei em tanta gente
nesta gente fui tão crente
Oh! Meu Deus infelizmente
não colhi o que plantei...

Mas jamais vou desistir
pois se aqui eu não colher
lá no céu irei viver
e tudo aquilo que plantei
a Jesus ofertarei
lá no céu eu colherei...

Custe o que custar
eu vou sempre acreditar
que nem tudo está perdido
que as pessoas ainda sabem amar!

domingo, 23 de outubro de 2011

O caráter de Deus


Ora sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus, 
creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam.
Hebreus, 11: 06

A esperança e a fé são como remédios que devemos tomar todos os dias, ainda que os sintomas que definam o resultado não estejam em evidencia, sabemos que a eficácia se concretiza no exercício...

Acreditar é um fator imprescindível para que se alcance o objetivo de nossas ações, sem ter a fé necessária invariavelmente obteremos resultados favoráveis, a menos que aquilo que pleiteamos não seja passivo de exercermos a nossa fé!

Mas neste caso não é porque se sonhe, o sonho é o mecanismo que nos leva a uma dimensão sobrenatural, e quando este sonho é aliado à vontade de Deus por mais impossível que o mesmo pareça, ele nos torna mais firmes amadurecidos enquanto aguardamos a concretização de nossos ideais...

A fidelidade, o caráter de Deus, jamais permitirá que sonhemos em vão, a menos que venhamos a sonhar de forma unilateral aleatória aquilo que é a sua verdadeira vontade, mesmo assim se nos humilharmos aos seus pés, todo o sofrimento causado por nossas frustrações se converterá em experiências e nós que momentaneamente abatidos teremos uma nova robustez desde que permitamos que este mesmo Deus retome o controle das coisas.




segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Era de aquários


Estava eu assentado
no canto calado
 um tanto perplexo
bastante intrigado
ouvindo a palestra
de um sujeito  alienado.

...E ele falava do sol
de outras  dimensões
como  falava difícil
o enigmático cidadão.

Mostrava vários dos planetas
também outras caláxias
sobre um alinhamento
entre astros e planetas
e depois que se alinhassem
tal como num encantamento
teria fim todo tormento.

Olhava um mapa astral
o zodíaco e as estrelas
sua pedra filosofal
era um pedaço de pau
tão cheia de grifos
dizia ser hieróglifos.

Era um pau petrificado
objeto meio queimado
que tão cheio de enigmas
mostrava o mundo abstrato,

e eu ouvia tão calado
olhando firmemente
o pedaço de pau diferente
perguntava a mim mesmo.

...Meu Deus!
Qual é o projeto desta gente?!

Dizia ser a era de aquários
que nossa era já era
mais que era que era?

A era que foi?...
A era de ir?!
Ou a era que há de vir?!...
Mas o quê que era aquilo?
Fiquei tão confuso!...

E o tal do Avatar!
Cujo nome é Maitreia
Ah! Meu Deus que idéia!

Dizia ser ele é o quinto Buda
o messias dos Judeus
Jesus Cristo dos cristãos
só faltava ele ser
se dizer nossa senhora,
só sei que eu não via a hora
de eu ir-me embora.

Falou de tantos discos voadores
voando pra tudo enquanto é  lado
falava todo eufórico
o sujeito meio lunático
um tanto assim meio volátil.

E eu ali assentado
ouvindo a tudo calado
aquela psicodélica palestra
sisudo eu franzia a testa
pois é tudo o que resta.

Ele falou disto tudo,
 mas não falou de Jesus
não falou do seu plano
elaborado na cruz!

Falou e falou

e não me disse nada!...


 Eu sou o caminho a verdade e a vida
ninguém vem ao Pai senão por mim.
João, 14: 06

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Uma oferta de Deus


VIDA.

breve sopro, dito.
estagio para um espírito
tempo que conta
para depois calar.

Do pó se veio, ao pó voltará!...

Dádiva.

Algo que se ganha
a vida é algo assim
uma oferta de Deus
para dele se fazer
trazendo todo amor
a ele rendendo todo o louvor.

Espírito.

Inserido neste corpo
que ao partir o deixa morto
a se deteriorar.

Do pó se veio, ao pó...

Vida.

Algo criado por Deus
que se viver com Deus
por Deus e para Deus
a Deus retornará!...




Do que adianta ao homem ganha o mundo e perder a sua alma?
Mateus, 16: 26