sábado, 8 de junho de 2013

Análogos a Ele


















A felicidade, o bem estar social, são sentimentos que dependem muito mais de questões subjetivas do que necessariamente circunstâncias objetivas.


Confie no homem apenas como um instrumento de Deus.

Como instrumento de Deus quando te ajuda.
Como instrumento de Deus quando te prejudica.

Quando te ajuda, isto pode ser a ti extremamente útil, mas quem o faz corre o risco de se envaidecer por tê-lo feito, corre-se o risco de mais tarde cobrá-lo por fazê-lo, corre-se o risco de você endeusá-lo pelo feito, e quando este o decepciona, a desilusão é profunda.

Quando te prejudica ainda que os danos sejam terríveis, até mesmos irreversíveis, se sobreviveres a tempestade com certeza sairás amadurecido e a experiência te tornará incólume de novas agruras, ou pelo menos fortalecido contra as mesmas.

Se você ajuda e tem como troco a ingratidão, com certeza a ingratidão cometida jamais anulará a grandeza de seu feito, mas se deres maior valor ao que fizera na verdade o que fizera nada mais é do que a manifestação de um ego envaidecido, e quando tudo é feito apenas com propósitos altruístas, a recompensa se dá no ato de fazê-lo.

Porquanto.

Ao dar ou receber, ajudar ou ser ajudado derive sempre os seus atos para Deus, pois a ele tudo o que fizermos nada significa mediante a sua incomensurável grandeza.


E quando nossas atitudes visam contemplar a sua glória, ou por ela ser contempladas nos tornamos um pouco mais análogos a ele, fazendo com que tudo o que fazemos se torne efêmero supérfluo...   



Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, 
 para que todo aquele que nele crê não pereça,
 mas tenha a vida eterna. 
-João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cães ladram, mas a carruagem passa.

Existe uma enorme influencia advinda de filosofias progressistas que deturpam de forma profunda o conceito familiar, eu sei que é impor...