quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Olhai os lírios do campo.

Sua voz era tão amigável!...
Tão amável admirável
ele era tão inteligente
tão afável e envolvente
onde eu tão inocentemente
de um modo displicente,

resolvi acreditar
resolvi acrescentar
mais um grau a minha burrice
mais um feito a minha crendice,

e no conto do vigário,
eu caí como um tolo um otário...

...Mas ele falava de gesuz!
diferente ao da cruz
gesuz este que seduz
e aguçou minha vaidade
nesta tal e mal fadada
teologia de prosperidade.

Induziu-me a dar meu tudo
eu de burro fiquei mudo
disse que deus ia dobrar
ele iria multiplicar
minha oferta de dinheiro
depositada no altar.

Ele levou o meu dinheiro
que ajuntei o ano inteiro
eu fiquei sem um tostão
e sem ter a solução
pra pagar as minhas dividas
e aliviar a minha situação.

Sua fala mansa e doce
que engana a tanta gente
que tão cego anda crente
que há um meio diferente
de poder ganhar riquezas.

Mas ele não falava do pecado
não ensinava a amar
e por amor perdoar
como também pedir perdão
pelo meu pecado de ambição
já que o sinônimo de cristão
é amor e compaixão.

Mas em seu relativismo
ele prega o hedonismo
de uma forma pragmática
tão sincrética e sofismática...

Quem sabe agora eu me arrependa
com o meu erro então aprenda
que o evangelho não é cobiça.

Vou olhar as aves do céu
que não plantam e nem colhem
sei que Deus as alimentas
e o que delas então sobrar
Deus irá me alimentar!

Olhai os lírios dos campos
eles não tecem e nem fiam
vou correr em meio a eles
com um sorriso de criança
pois a minha esperança
não está neste lugar.

Não quero aqui meu tesouro ajuntar
aonde sei que minam os ladrões
e a traça a corroer.

Meu tesouro está no céu
pois quando eu partir daqui
com Jesus irei viver.

E enquanto aqui estiver
vou viver do meu trabalho
do suor que sai do meu rosto
e o que Deus acrescentar
o seu nome irei louvar!

Mais importante do que isto
quero ao próximo ajudar
sua fome saciar
e fazer da minha religião
não o engano e sedução
sim a mais profunda comunhão
entre eu e o meu irmão!...







Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. -João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Na fornalha da esperança,

De forma redundante sempre afirmo que os diamantes são raros de valores tão caros, mas que de nada valem para quem não lhes sabe dar o ...