quarta-feira, 22 de junho de 2016

Farrapo humano, I parte.


Reencontro.


Seu nome era paz!
seu olhar esperança
sua voz o conforto
de um caminho tão torto.

Eu o via caminhar
na minha imaginação
caminhava com ele
em total comunhão.

Mas pensando estar só
vi doer os meus espinhos
minha fé conturbou-se
me perdi no caminho.

...E dele me separei
fui viver pela dor
em angustia e tristeza
converti o meu amor.

Meu nome virou conflito
minha fé desviada
meu olhar tão vazio
me perdi na jornada.

E eu que falava sozinho
superando qualquer aflição
pois minha dor se aliviava
ao fazer uma oração.

Pensei que ele havia me esquecido
tornei-me um tanto descrente
julguei ser apenas ilusão
fiz tudo errado infelizmente
mentindo sempre a mim mesmo
mesmo quando dele falava
pois sabia lá no fundo
nele muito pouco acreditava.

Quando dele ia falar
teimava sempre em contestar
ele não ligava para mim
julguei-me por demais vulgar
tentando sensibilizara-lo
ironicamente eu chorava
como era pobre de espírito!

Meu Deus!...

Como me amaldiçoava!

...E tanto me amaldiçoei
que esqueci o porquê chorava
perdi a noção do que era viver
como farrapo humano vegetava
mesmo assim com veemência
eu roguei por clemência
pois sentia esvair-se
a minha própria existência.

...Até hoje eu não sei
como pôde acontecer
minha podre e inerte vida
consegui se reerguer
aumentou-se a esperança
sentimento que foi só lembrança
me fiz uma nova criatura
vivendo em paz e bonança.

Só que para o meu desencanto
enterrei-me em outro pranto
porém para o meu próprio espanto
alivie-me no entanto,

a dor sei veio forte
gosto amargo da morte,
mas desta vez eu estava com ele
ele mudou a minha sorte
por isto dei a volta por cima
sem ter medo sem ter sisma.

Apesar de ver no espelho
meu semblante tão tristonho
e meus olhos um tanto vermelhos
de repente eu sorri
ao ver em mim tanta serenidade
seu doce Espírito habita em mim
trazendo paz amor e felicidade
descobri o valor de ser cristão
aprendi ao próximo amar

e ainda que haja decepções
com Deus eu aprendi a superar
pois isto de graça ganhei
quando a Jesus Cristo me entreguei
meu coração transborda paz
na sua paz me edifiquei!

...E mesmo que o mundo diga não
que haja derrota desilusão
não fecharei meu coração
hoje sei que sou feliz
Jesus Cristo foi a minha solução.

 ***********

A primeira vez que entrei em uma igreja evangélica foi no começo dos meus vinte anos, algo diferente aconteceu naquele dia, eu senti um leve toque de Deus, lembro-me que foi o suficiente para que eu paralisasse com a bebida, até de fumar havia parado também!

Mas infelizmente como eu era novo o mundo com a sua sedução acabaram me laçando de volta, sedução não! Cachaça mesmo!

Eu caí na besteira de ir contar a novidade ao dono do bar que eu costumava frequentar, até aí tudo bem!

O problema foi quando um homem apelidado de Pato, cujo eu tinha o habito de beber com ele entrou no boteco e pediu uma cachaça.

Enquanto ele tomava a sua pinga eu o evangelizava:
__Sabe Pato! Jesus tem um plano na sua vida!...
Ele pediu outra cachaça, e eu continuei pregando...
__Éh!... Jesus tem um plano...
Ele pediu mais outra cachaça, e eu...
__Jesus tem...
Pediu mais uma...
__Jesus...

Na quarta ou quinta cachaça eu também pedi uma, e não demorou muito e nós dois estávamos bebadozinhos e eu tinha aprendido na igreja alguns corinhos, por causa disto chorava e cantava, cantava e chorava!...
Até ele também acabou aprendendo!
Continua...





Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, 
 para que todo aquele que nele crê não pereça, 
 mas tenha a vida eterna.
 -João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se um artista cantor ou escritor, julgar-se o dono da razão.

Nós podemos influenciar a mídia sem com tudo sermos influenciados podemos tomar decisões próprias sem com tudo sermos manipula...