terça-feira, 26 de julho de 2016

Comunhão com Deus. [A oração o condutor] parte II











Orar é conscientizarmos de nossas vulnerabilidades 
e conscientes das mesmas, 
fortalecermos daquilo que não depende de nossas forças.

A oração nos permite compreender 
que nossos recursos não são soberanos
e que nossa força jamais pode estar focada em nós mesmo.

Ainda que possamos solucionar alguns problemas,
é imprescindível que tenhamos a consciência 
de que o simples dom da vida
se dá pelo fato de que tal dádiva 
nos foi dada a revelia de nosso direito de tê-la.

E Àquele que nos concedeu tal direito
tem o direito de revogá-lo a hora que lhe bem convir.

Por isto.

Antes de acreditar que possuímos algo,
devemos apenas contentar com o ar que respiramos
por mais que muito mais coisas desejamos.

Somos apenas aquilo que Deus permite que o sejamos.





É preferível cinco minutos em um genuíno sincero e humilde dialogo com Deus do que cinco lancinantes horas em um falso e mesquinho monologo.

E aquele que abdica de si para viver a vida na dependência de Deus, cinco minutos servem apenas para refletir  em tudo aquilo que foi dito e ouvido amiúde durante todo o decorrer do dia.

A noite vem em paz!...

Fazendo o incomensurável Deus sonhar ao vê que dorme estando ele a zelar!

Jesus Cristo sonha acordado esperando o momento de ver novamente acordar a quem tanto ele vive a amar!




Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. -João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Serás sempre mulher! [Uma resposta a Avon]

A semente que gera. És feminina és doce és bela! suave como a pétala de uma flor tão sublime és princesa e não importa sua ra...