segunda-feira, 4 de julho de 2016

Sítio da apostasia, parte I

Do livro O Padre Galego








O pavão desfilava todo pomposo enquanto abria a sua cauda e mostrava a todos as sua exuberância e egocentricamente julgava-se o mais belo entre todos.
Como o galo não possuía uma calda tão bela como a do pavão, exibia a exuberância do seu cântico e de forma estridente explodia como um tenor de ópera; o fazia não apenas pelas manhãs como era costume dos galos, mas o dia todo, a toda hora.

O pato? Além de ser feio seu cântico era horrível, mas nem por isto sentia-se menosprezado, pois ia para o meio do lago e em mil acrobacias demonstrava o seu talento esplendoroso.
Vendo tudo isto e sentindo inferior a galinha de angola tão pequena coitada! Adquiriu um terrível complexo de inferioridades e dizia a todos e toda à hora.
- “To fraco, to fraco to fraco”...

Não era muito diferente com uma avestruz que morava naquele sitio, pois quando olhou para si e descobriu que era um tanto sem estética desajeitada, engolindo tudo que via pela frente. Enfiava a cabeça no chão, na eminência de qualquer perigo.
Mas havia um que não fazia parte do convívio, porém, vez ou outra sobrevoava aquele galinheiro que mais parecia uma disputa de vaidades.

A águia tinha um objetivo maior e baseava seu propósito de forma consciente. À ela não importava se tinha asas enormes e garras possantes ou se seu voou era o mais sublime, se com ele cobria as nuvens do céu “ela não se vangloriava disto”; usava os seus talentos com um objetivo, e quando exibia o seu vôo, onde lá do alto contemplava uma serpente descia em certeiro vou rasante abatia sua vitima.

Quando os ventos fortes anunciam tempestades ela não se escondia cheia de pânico, e nem sofria os efeitos destas tempestades como os demais...

Simplesmente ela voava acima destas mesmas tempestades.
O pavão de tanto abrir sua cauda acabou perdendo-a, sua beleza fora arrancada para fazer plumas e paetês. O galo de tanto incomodar com o seu cântico contumaz acabou indo para a panela. O pato em uma de suas acrobacias acabou mergulhando dentro da garganta de um crocodilo.

A galinha de angola “coitada” ficou tão contaminada com a sua baixa altoestima que ainda nos dias de hoje houve o seu cântico:
- “To fraco. To fraco, To fraco.” O que não é muito diferente no caso do avestruz.

Continua...


Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. -João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Serás sempre mulher! [Uma resposta a Avon]

A semente que gera. És feminina és doce és bela! suave como a pétala de uma flor tão sublime és princesa e não importa sua ra...