sábado, 31 de dezembro de 2011

Sonhar é ter asas pra voar!

 Sopra um novo vento diferente
há uma brisa de esperança
existe um lindo caminho
caminho de paz luz e bonança.

Eu não vou perder a fé
por favor! Jamais perca a sua
vamos juntos caminhar
e o mesmo sonho então sonhar
mesmo que seja sonho diferente
todo sonhos são iguais
os sonhos fazem bem pra alma
um sonho nunca e demais
é o alivio do tomento
o descanso do momento
o momento tão eterno
neste sonho que se faz
aparente utopia
que nos faz sorrir dispersos
abstraídos do dilema
que nos torna tão cativos.

Sonhar é ter asas e voar!

É amar pra ser amado
não importa se sem amor
o amor sei que virá
pois o amor é o penhor
de uma vida que se vai...
vale a pena sonhar!

Quem que nunca foi feliz?

Mesmo estando infeliz
por um momento se sonhou
este sonho se amou
no vazio acordou
mas não importa sei amou
com o amor de um ser único
dentro de um coração
que agora quer viver
neste sonho que é a vida
nesta vida que é um sonho
e não haverá quem seja triste
se vermos o mesmo sonho
de um dia ver a luz
do amor que é Jesus
que nos deu os nossos sonhos
pois sonhava em nos ver
tão intrínsecos no seu Ser
envolvido na essência
de um amor que vale a pena
ser amor só por amor
ter amor para si amar
e no amor de um doce sonho
vou sonhar que vivo a amar!


 Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, 
para que todo aquele que nele crê não pereça, 
mas tenha a vida eterna.
 -João, 3:16-

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Amuletos para cegos



Meus Deus!...
 É tanta alienação
vejo tanta ilusão
neste povo tão sincrético
estas almas tão carentes

povo néscio e deprimente,
como a oferta vai para o mar
tanta oferta vai pro altar,
tantos altares sem ter oferta.

Vejo tantos patuás
inserido nas religiões
amuletos para os cegos
que estão fora do contexto.

Vejo a igreja convertida
em uma celeuma enrustida
não se prostra a uma imagem
mas ninguém tem a coragem

de quebrá-la no coração
pois se dizem tão cristãos
mas inventam soluções
analógicas aos ídolos

é fitinha com dizeres
ou cajado de Moises
21 dias de Daniel
num jejum sabor de fel

em que visa a ambição
em ofertas escabrosas
que promete enriquecer
e depois se esquecer
do que foi feito lá na cruz

amam ao ouro negam esta cruz
pois ofuscam com a ganância
todo brilho desta luz
que ofuscou todas as trevas
pelo sangue de Jesus

O evangelho em algo tão mítico
tão cheio de misticismos
pragmático e tão sincrético
tão distante de meu Deus
que não vê nada poético.

Tenho medo do amanhã
de perder a minha fé
e viver só da religião
retirando Deus de dentro
como sempre acontece.

Mal se acaba uma campanha
logo já se começa outra
e de campanha em campanha
entra ano e sai ano
este povo que diz crente
vai vivendo só de engano

e num vil proselitismo
se afundam num abismo
mudaram só de religião
mas não mudaram o coração.




Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito,
 para que todo aquele que nele crê não pereça, 
mas tenha a vida eterna. 
-João, 3:16-

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A sexta potencia

Estamos terminando mais um ano
e já começamos feliz com o engano
de sentir o ego elevado
de saber que fomos proclamados
a sexta potencia mundial!...


Esta idéia me abomina
pois deparo com a sina
da ganância da propina
substantivo que virou verbo
comumente conjugado
onde eu indignado
vejo a historia repetir
lideres se promiscuir
 e político cair
qual é o próximo que vai surgir?

Ainda mais indignado
eu contemplo deputados
maquiarem resultados
maquinarem seus propósitos
de encherem seus depósitos

e fui eu quem depositou
quando cegamente acreditou
que seria a esperança
de uma nação mais isonômica.

Vejo nossos vereadores
que tão hábeis são atores
que representam suas emendas
que redundam em altos salários.

Não passamos de otários
e desculpem-me a expressão
não foi só para dar rima
mas pra recrudescer a cisma

já que somos tão logrados.

...E a nossa sexta potencia
grita aos prantos
pede clemência
neste abismo social
a miséria pede esmola
em nossos postos de saúde
a doença sei que aflora.

O elitismo ignora
que aqui em baixo existe gente
e a gente geme e sente
que na fila tão doente
sem ter medico pra atender
morremos aos poucos a sofrer...

A desgraça desta droga
que envenena nossos filhos
tira-lhes os pés do chão
desvirtua-os dos seus trilhos
onde eu saio do estribilho
do poema e desabafo.

É mais uma mãe chorando
vejo a fome assolando
a violência contumaz
santo Deus não agüento mais
pois ninguém torna capaz
de prender nossos ladrões
que geramos todos os dias!...

Sei que existe tanto descaso
tantos fazem pouco caso
de crianças sem infância
que perambulam pelas ruas
vão descalças e semi nuas
nos sinais a mendigar.

E com olhos angelicais
Animais tão racionais
e fazemos nossas campanhas
  cantamos alegre é natal!
recrutamos o que sobra
para então poder doar.
e depois se esquecer
que natal só tem um dia!

Mas nos outros dias que se seguem
outros filhos nos perseguem
sobreviver sei que mal conseguem

e vão perdendo o brilho do olhar
desconhecem o que é o amor
e não sabem nem amar
pois nasceram mal amados
sei que vivem mal cuidados

até que sejam adotados
por um vil traficante
que oferecem tudo aquilo
que os políticos lhes roubaram

quando eles desviaram
impiedosamente extorquiram
sutilmente subtraíram
tudo aquilo que era meu
tudo aquilo que era seu
pra cuidar de nossos filhos,

mas assassinam os seus
ensinando-os a serem mesquinhos.

Salve a nossa sexta potencia
que apesar de tão potente
ela emana a impotência
de ser uma nação exuberante
mas que traz no seu recôndito

o clamor angustiante
de um povo que se desespera
que visitam amiúde
tão doente sem saúde
nossos postos de saúde

pra tentar em vão se tratar
e voltar a trabalhar
e com o nosso mísero salário
com impostos sustentar
aos políticos entupir
para eles desviarem
o que nos tornaria de verdade

a sexta potencia.






Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, 
para que todo aquele que nele crê não pereça,
 mas tenha a vida eterna. 
-João, 3:16-

Malditos traficantes...

Jovens nas esquinas Vejo jovens nas esquinas e a esquina da vida é a esquina da morte onde a esquina do azar anulou toda sort...