domingo, 22 de maio de 2016

Quando explode a revolta.

Fazemos nossas passeatas
mas estamos perdendo o bom senso
elegemos nossos lideres
baseado na falácia
de promessas tão inócuas.

Sei estamos perdendo a dignidade
a vida não está valendo mais nada
nunca a vi assim tão barata
pois se mata por tão pouco
isto tudo é muito louco



já que a vida sendo tão barata
a violência nunca custou tanto
vejo tantas mães chorando
choram tristes o seu pranto

e as balas que ecoam
na revolta que explode,
e quando explode a revolta
avassala  nossos corações!...

Já não existe mais temor
onde havia o amor
vejo o pânico o terror!

Jovens perdem as suas vidas
na desgraça de um vicio
e malditos meliantes
proliferam a todo instante
espalhando o terror
com o prazer de gerar dor.

E um grito angustiado
vejo um corpo esticado
tão ferido ensanguentado
e a sociedade agoniza
esta dor da violência
santo Deus tem de clemência!

tantos morrem tão precoces
sei que morrem inocentes
e o mal que eles fizeram
foi apenas o de tentar viver
nesta terra violenta.

Nossas leis sempre afrouxam
nossos politicos a ignoram
ignorando o nosso povo
e desviam seu tesouro
e afrouxam suas leis
para viverem como reis.

Quando oro ao sair
peço a Deus pra eu voltar
sem ser vitima de um assalto
que assola esta violência
recrudescida pela imprudência
desta lei um tanto eufêmica
que assassinam nossas crianças
quando tira-lhes a esperança
de um futuro mais condigno.

Dói ver uma bala perdida
encontrar seu endereço
assassinando a um inocente
vai matando nossa gente.

Ela não vem de um conflito
de bandidos com a policia,
ela vem da imperícia
de políticos que governam,
mas não veem seus filhos morto
e por isto não se importam

se a violência vai continuar!...





Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. -João, 3:16-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O amor é a base para ser o que o somos. [Ao ouvir REM- Everybody Hurts]

                            A vida me ensinou que não adianta desejar algo que nunca será nosso. ...